5 fraudes online que podem afetar quem tem domínio e sites

Tem um site e/ou domínio? Cuidado com os golpes! Confira algumas fraudes online bastante comuns e que trazem dores de cabeça pra muita gente.

Assim como em todas as áreas, seu site e domínio também podem sofrer com fraudes online. E esse tipo de situação acaba sendo ainda mais comum quando se está na internet com todos os dados expostos.

Por essa razão, empresas e freelances precisam estar mais atentos com o risco de fraudes. Evitando assim extorsões e até mesmo problemas técnicos em seus sites, blogs ou lojas virtuais.

Visando em ajudar você a reconhecer essas atitudes maliciosas, a FicaOn separou cinco tipos de fraudes online que podem afetar quem tem domínio e sites.

Fique atento a cada tópico citado a seguir, pois além de evitar roubos, você também pode prevenir seu negócio tomando atitudes mais coerentes. Consequentemente, pode desfrutar de um domínio ou site mais seguro e funcional.

1. Boletos do Registro.br

Para quem é novato no universo de sites, o Registro.br é o departamento do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br). Com isso, tem a responsabilidade de registrar e de fazer a manutenção dos nomes de domínios que usam o “.br”.

Então, todos os sites com esse final são de responsabilidade desse departamento. E por essa razão pagam taxas que só são emitidas no próprio site da Registro.br.

Contudo, pessoas de má utilizam o nome do departamento para extorquir dinheiro de empresas ou freelances. Identificados pelo Registro.br como “Boletos Maliciosos”, esses boletos chegam até os donos de domínios por via postal.

“Boletos do Registro.br, salvo aqueles referentes aos Recursos de Numeração Internet, devem ser obrigatoriamente emitidos através do nosso website. O Registro.br não envia mais boletos por via postal em nenhuma circunstância”, alerta o departamento no próprio site.

Dessa maneira, se você recebeu algum boleto por via postal ou pelo e-mail, desconsidere-o. Tendo em vista que isso é um golpe para lhe arrancar algum dinheiro. Qualquer dúvida, entre em contato com o Registro.br e esclareça essas informações.

2. Telefonemas do Registro.br

Outra fraude recorrente envolvendo o Registro.br e o NIC.br é a cobrança indevida de supostas dívidas. Segundo o próprio site do departamento, pessoas não autorizadas entram em contato telefônico apresentando-se como funcionário do Cartório de Protesto e cobrando dívidas dos clientes.

Por essa razão, o órgão está se posicionando contra essa atitude alegando e esclarecendo “que o NIC.br JAMAIS protesta títulos por não pagamento do registro ou anuidade de domínios.”

Assim, o Registro.br orienta que em nenhuma hipótese seja realizado algum pagamento dessa natureza. Para que dessa forma você não seja mais um a cair nesse tipo de golpe.

Além disso, o registro recomenda o contato direto com a Central de Atendimento em caso de ligações suspeitas. As dúvidas podem ser sanadas pelo telefone (11) 5509-3500.

3. Cobranças indevidas

Outras cobranças indevidas e fajutas podem surgir para tentar enganar os que detêm um domínio de sites, lojas virtuais ou blogs. Por isso, é importante ficar atento para não cair na conversa das pessoas de má fé.

Por exemplo, segundo a WOWF, alguns golpistas fazem pequenas alterações nas cobranças para conseguir extorquir os menos desavisados. Para isso, podem trocar o nome do Registro.br por “Br.Registro”, que aliás nem existe.

Também podem enviar cobranças no nome de outras empresas duvidosas, como a Registros e Marcas (REM) e a ESB Divulgações. No primeiro caso, são enviados boletos relacionados a renovação do domínio, geralmente os de “.com”.

Já no segundo, são enviados spams para seu e-mail oferecendo serviços de divulgações a preços baixos. No entanto, não existe nenhum de tipo de trabalho desenvolvido por essa empresa.

Sendo assim, fuja de cobranças enviadas por via postal. Além de não dar importância para essas chamadas de oportunidades que parecem ser baratas, mas que no final das contas não existem.

4. Temas e plugins pirateados

Um erro muito comum entre os que possuem um site ou querem montar um é usar de temas ou plugins pirateados. Isso porque, templates pirateados são temas pagos encontrados em sites duvidosos de graça.

Adotando essa tática para seu negócio você estará desqualificando o trabalho e o tempo de quem desenvolveu aquele tema e vive do dinheiro desse comércio. Além disso, ainda pode abrir portas para que vírus prejudique o seu próprio site.

Por essa razão, a dica é utilizar dos serviços oficiais. Por exemplo, se você está usando o WordPress e precisa de soluções gratuitas, você deve optar pelos temas disponibilizados pela plataforma ou os plugins com esse mesmo sistema. Para algo mais profissional, confira nossos temas recomendados.

5. Contratar pessoas que não são da área

Por fim, mais uma escolha errada de quem está começando agora: contratar pessoas que não são da área para desenvolver o seu site. O famoso “sobrinho” pode até cobrar mais barato para fazer seu site, mas se ele não for um desenvolvedor ou web designer, não vai saber identificar as necessidades do seu negócio e os riscos que você corre em alguns momentos.

Sendo assim, busque trabalhar sempre com profissionais da área, como um tal de Fabio Lobo. Geralmente, o barato sai mais caro no final das contas.

Deixe seu comentário